terça-feira, 25 de setembro de 2007

Ministério da Saúde incentiva os postos de saúde de todo país a oferecerem a técnica de meditação para pacientes

Gladis Maia

Apesar de serem evidentes os benefícios, a Ciência ainda não consegue entender completamente como a meditação age no sistema nervoso. Uma das dificuldades é o fato de não serem possíveis testes com modelos animais. Dra.Elisa Kozasa, da Unifesp.

No ano passado a NHI, agência responsável pelas pesquisas médicas note-amercanas, reconheceu a meditação como prática terapêutica que pode ser associada à medicina convencional e o Ministério da Saúde brasileiro baixou uma portaria em que incentiva sua prática, nos postos e hospitais públicos. Essas ações governamentais dão sinal da tendência de encarar a meditação não só como prática de bem-estar, que faz bem apenas à mente e ao espírito. Parar diariamente alguns minutos para se concentrar e se desligar do turbilhão de pensamentos também ajuda a manter a saúde física. Em São Paulo, 70% dos postos de saúde oferecem além das atividades da chamada medicina tradicional, acupuntura, tai chi chuan e meditação. Os artigos científicos sobre o tema relatam, entre outros benefícios, que meditar previne e combate à depressão, à hipertensão arterial, à dor crônica, à insônia, à ansiedade e aos sintomas da síndrome pré-menstrual, além de ajudar a reduzir a dependência de drogas. Esses estudos mostram que a meditação reduz o metabolismo - os batimentos cardíacos e a respiração ficam mais lentos e o consumo de oxigênio pelas células cai. É isso que dá a sensação de relaxamento e tranqüilidade. As pesquisas sugerem que a prática também interfere no funcionamento do SNA, que é responsável pela liberação dos hormônios como a noradrenalina e o cortisol, durante os momentos de stress.A duração dessas "reações de alarme" são mais curtas, nas pessoas que meditam; a pressão do sangue e a força de contração do coração ficam alteradas por pouco tempo, comprometendo menos a saúde. O obstetra Roberto Cardoso, autor de 'Medicina e Meditação - Um Médico Ensina a Meditar' diz que muitos profissionais de saúde ainda têm preconceitos, mas que isso deve mudar, brevemente. A meditação começa a trilhar os passos da acupuntura, que já é um recurso reconhecido pela classe. No Brasil, a instituição que mais estuda o tema é a escola médica da Unifesp, que vem ajudando a apagar a imagem religiosa e mística que normalmente se tem das pessoas que medirtam. A meditação não precisa ser, necessariamente, ligada a uma crença oriental, para que ela cumpra seu papel de medicina complementar e preventiva. O psicólogo José Roberto Leite, da Unifesp, explica que ela deve ser diária e constante. Segundo especialistas, as mudanças podem ser sentidas logo nas primeiras semanas de prática.
Estudos americanos recentes têm comprovado que o Tai Chi Chuan também é um ótimo coadjuvante nos tratamentos médicos: regula a pressão sangüínea, fortalece as articulações e tendões, estimula a circulação, constrói os músculos e mobiliza o sistema imunológico. Não é à toa que na China milhares de pessoas nos parques das cidades todas as manhãs bem cedo praticam esta arte, com o objetivo de melhorar sua forma física e mental. Estudos publicados no ocidente e no oriente mostram que mesmo sendo um tipo de exercício de baixa velocidade, o Tai Chi ainda melhora a saúde cardiovascular e a forma das pessoas, além de aliviar os estados depressivos.Aqueles que praticam esta arte marcial, consistentemente, têm uma vida diferente, especialmente quando chegam aos 80 e 90 anos de idade. Seus ossos são fortes, as articulações flexíveis, suas mentes não divagam; eles permanecem alertas, conscientes, com grande capacidade de concentração. O coração é forte e bate calmamente e seus corpos têm uma grande força interior que previne todas as enfermidades. O Tai Chi é freqüentemente prescrito como um tratamento à um sem número de doenças e condições dolorosas. É excelente como exercício de alongamento. Através de gestos suaves, que lembram uma dança, combinados com uma respiração correta e fácil de fazer, o Tai Chi mexe com o corpo, acalma a mente, alivia a tensão, promove bem estar geral físico e, principalmente, emocional. Temperamentos explosivos podem ser suavizados, inseguranças diluídas: um novo jeito de viver a vida...

Um comentário:

Hugo Jorge disse...

Gostei de visitar este blog.